Páscoa, chocolate e diabetes


Com a Páscoa se aproximando não tem como não lembrar dos ovos de chocolate.

O Brasil é o segundo no ranking mundial dos produtores de ovos de chocolate, perdendo apenas para a Inglaterra.

O cacau, substância da qual se produz o chocolate é naturalmente amargo, sendo por isso, confeccionado adicionando-lhe açúcar e outros ingredientes tal como leite e frutos secos.

É um alimento de alto valor energético e, por isso, frequentemente banido do consumo dietético regular de algumas pessoas. Além das calorias o chocolate fornece minerais como potássio, cloro, fósforo, cálcio, sódio, magnésio, ferro,cobre e zinco, além de vitaminas(A,B1,B2,B3,E), e é rico em antioxidantes e flavonóides,substâncias benéficas à saúde. O segredo é escolher as melhores opções disponíveis no mercado e adequá-lo em um plano alimentar equilibrado. Isto vale também para as pessoas com diabetes, que podem incluir o chocolate na sua rotina, incluindo as versões não diets.

Os melhores são os mais amargos, pois apresentam, menor conteúdo de açúcares e maior quantidade de cacau.

Chocolate Amargo

Contém entre 51 e 75% de cacau, é o mais rico em antioxidantes porque tem mais massa de cacau e menos manteiga de cacau. É amargo ao paladar, pois possui reduzido teor de açúcar.

Chocolate meio amargo

Contém entre 35 e 50% cacau, tem uma composição bem diversificada, conforme a marca do chocolate, o sabor amargo é suavizado pela presença do açúcar. No entanto, é uma opção muito boa para aqueles que não apreciam o sabor forte do amargo.

Chocolate branco e ao leite devem ser evitados, pois apresentam alto conteúdo de açúcares e menor quantidade de cacau.

Aproveite sua Páscoa com moderação!

Vejam a matéria completa no site:

http://www.diabetes.org.br/publico/pascoa-e-diabetes/1622-pascoa-chocolate-e-diabetes


RECEBA

AS NOVIDADES

POSTS RECENTES

WhatsApp arnaldo ferreira